A impotência é um bom assunto a enfrentar entre os homens. Alguns encaram-no como um fim inevitável à sua função sexual enquanto outros são optimistas em que existe uma cura para ele. Contudo, a maioria dos homens desconhece que o melhor tratamento para a impotência é um dos que visa a causa da raiz do problema.

Como ponto de partida, existem muitas causas físicas conhecidas que podem contribuir para a condição, mas também existem muitas causas psicológicas que muitas vezes os homens não prestam atenção. Claro está, existem muitas causas psicológicas da impotência e que podem ser mais serias que as fisiológicas. Totalmente oposto à impotência fisiológica, a classificação psicológica muitas vezes ocorre de repente. Se bem que normalmente se diga que apenas cerca de um décimo de todos os casos de impotência são atribuídos a etiologias psicológicas, porém isto tem de ser posto em consideração.

Alguns dos factores psicológicos mais comuns ou causas incluem o seguinte:

  1. Auto estima baixa
  2. Depressão e ansiedade
  3. Stress
  4. Aborrecimento e fadig
  5. Problemas maritais
  6. Sentimentos homossexuais não resolvidos

Com a auto-estima baixa, especialmente se a pessoa tem uma experiência prévia de um episódio inesperado de disfunção eréctil, ele pode pensar que é imprestável ou incapaz de uma erecção. Isso irá dar origem a sentimentos de pessimismo em particular para o homem que continuamente acredita que não pode funcionar bem, sexualmente.

Para além disso, você sabia que o stress e a ansiedade podem despoletar a libertação de substâncias químicas no corpo chamadas de catecolaminas? Sim, a adrenalina é um exemplo muito comum e que é libertada durante períodos do voo ou de uma resposta a uma luta. Quando um homem está sujeito a um volume tremendo de stress, ele vai bombear mais dessas catecolaminas. A única acção nociva é a de que estas substâncias o impedem de atingir uma erecção.

De modo semelhante a depressão clínica pode dar origem a problemas de erecção porque a pessoa que toma algum tipo de medicamento anti-depressivo, muitas vezes experimentam a impotência como efeito colateral.

Além disso, sentir-se aborrecido e fatigado reduz os recursos de energia no homem que são necessários durante o sexo. No final, um homem pode parecer lento a “aquecer” ou apático em relação ao sexo porque ele se sente sempre fraco e sem energia.

Se o parceiro masculino também tem algumas emoções negativas contra a sua esposa, então isso também pode ser um problema. Estar zangado com o seu parceiro, vai invocar sentimentos de ódio que podem evitar que o homem venha a ter qualquer pensamento sexual. Sem fantasias sexuais e a intimidade para fazer sexo, o marido não vai atingir qualquer forma de erecção.

Também há a presença de sentimentos homossexuais não resolvidos que podem impedir um indivíduo de atingir uma erecção. Se alguma vez o homem ainda duvidar da sua sexualidade verdadeira, então ele irá passar um mau momento durante o acto sexual. Ele até se pode sentir enojado quando está na cama com uma mulher. Esta causa psicológica vai dar origem a sentimentos de culpa que o tornam incapaz de uma experiência sexual com sucesso.

Portanto, para rebater todas estas causas psicológicas de impotência temos de visar em primeiro lugar a causa real do problema. Se bem que tanto a impotência psicológica como a fisiológica partilham quase todas as mesmas opções de tratamento, a abordagem ao tratamento psicológico é melhor para a impotência que o psicológico quanto à sua natureza. Para a depressão, o homem tem de possuir um escape para redireccionar a sua depressão. Ele também tem de se sentir optimista em relação ao sexo. O stress ou estar demasiado ansioso também devem ser evitados porque alguma energia tem que ser reservada para o sexo. Volte a ganhar intimidade e estar envolvido em carícias, preliminares e aconselhamento matrimonial. Por ultimo, esteja certo que se sente como um homem ou deverei dizer, ser um homem! Se você seguir todas estas hipóteses então você terá uma experiência sexual gratificante.

70